Dorgas, manolo…


O efeito maconha das batatinhas fritas

Uma grande surpresa. Descobriu-se , por reações internas produzidas no corpo, que batatas fritas ingeridas causam efeitos iguais aos da maconha. O apetite aumenta e a repetição do consumo aumenta, um efeito quase insaciável e que leva a elevado consumo de gordura.

A mistura batata e gordura induzem o estômago a produzir reações como os endocanabinóides encontrados na erva canábica. O alimento engordurado provoca o chamado “no stop” (não parar). Aquele desejo irresistível de comer ainda mais batatinhas.

O descobridor do efeito canábico das inocentes batatinhas fritas foi o professor-doutor Daniel Piomelli, da Universidade da Califórnia, em Irvine.

Pela pesquisa, pode-se concluir que alguns alimentos gordurosos (no caso da pesquisa as batatinhas fritas) assemelham-se à maconha no sentido de provocar descontrole do apetite.

O professor-doutor Piomelli e a sua equipe realizaram experiências com ratos, aos quais foram dadas batatas fritas.

Os especialistas, então, verificaram que tudo começa na ponta da língua dos roedores, com as batatinhas fritas (alimento gorduroso) comunicando-se diretamente com o cérebro. Dessa forma elas ativam o sistema de transmissão que envia mensagens ao estômago e, pelos processamentos químicos, com relaxamento do estômago, a conseqüência é a chegada da vontade de consumir mais batatinhas fritas.

PANO RÁPIDO. Já escrevi, para a revista CartaCapital, acerca de um levantamento sobre a economia paralela e legal movimentada pelo mercado da maconha em alguns países europeus. No elenco, além dos papéis gomados vendidos nas edículas (e não são para enrolar fumo picado), apontei os lucros obtidos com pizzarias e lanchonetes, pela fome provocada após o consumo.

Agora se nota que as batatinhas fritas também abrem o apetite.

Wálter Fanganiello Maierovitch

(http://maierovitch.blog.terra.com.br/2011/07/06/o-efeito-maconha-das-batatinhas-fritas/)